O Menino Jesus… Menino?



“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” Isaías 9:6

Todos os anos os homens comemoram o Natal! A festa do papai Noel, do comércio, dos banquetes e, para uma minoria cada vez mais escassa, o nascimento do “menino” Jesus.

O que o Natal significa para você?

Época de praticar a fraternidade e o altruísmo? Tempo de estar com parentes e amigos? De trocar presentes, de vestir roupa nova e desejar ‘feliz natal’? Época de festejos e eventos para rir, beber, comer e comemorar?

É isto que é o Natal?

Com certeza, alguns poucos ainda respondem: – Não! O Natal é a data em que comemoramos o nascimento de Jesus. Mas, além da tradição, o que o fato de Jesus ter se tornado homem e vindo a terra significa para você?

Sem dúvida, todos gostam de comemorar o Natal. Até os ateus festejam esta data! Há motivação para todos! Para alguns, a visão de um pobre menino, envolto em panos em uma simples estrebaria em Belém é atrativa e desperta emoções. Muitos extraem diversas lições de moral desta cena que envolve pastores, príncipes vindos do Oriente e anjos.

Você deve estar pensando: o que há de errado com isto?

Embora a verdadeira origem do Natal nada tem relacionado a Jesus, e seus símbolos são, na verdade, ofensivos ao cristianismo, o maior equívoco pode estar em se pensar em Jesus hoje como um simples e pobre menino. A história não parou em Belém naquele estábulo. Também, não foi objetivo de Deus apresentar a cena do nascimento de Jesus tão somente para fornecer argumento aos que querem extrair lições e mais lições de moral da mesma, com discursos de simplicidade, humildade e outros valores que devem permear o caráter do homem. Não. A história não parou em Belém. O menino cresceu e se tornou o HOMEM JESUS. Talvez seja cômodo pensar nEle como um menino pobrezinho. Essa imagem certamente nos conduzirá a ter mais compaixão do que respeito e temor por Ele.

Jesus veio à terra há dois mil anos atrás. Nasceu, conforme a Bíblia relata, de uma virgem, numa estrebaria, cercado por anjos, pastores e magos. Mas, daquela estrebaria Ele já saiu! Como também já saiu da sepultura!

Jesus não passou a existir a partir do ventre de Maria. A Bíblia relata que antes de vir a terra Ele já existia e era Deus (João 1:1-3). Como homem, Jesus viveu uma vida santa, de sujeição completa a Deus (Fp. 2:5-8). Viveu 33 anos nesta terra sem pecado (I Pd. 2:22). Morreu na cruz, oferecendo-se em sacrifício (I Pd. 1:17-19), levando sobre si os nossos pecados. Não permaneceu morto, mas ressuscitou após três dias de sua morte (Atos 2:31-32).

Após isto Ele foi glorificado pelo Pai, recebendo toda autoridade, sendo Senhor absoluto de todos, os que reconhecem e os que não o reconhecem como Senhor (Atos 2:36). Hoje está com o Pai, mas em breve voltará para retirar deste mundo em destruição todos os que o amam de coração, estabelecer a Sua autoridade e julgar a todas as nações (Ap. 20-21).

Esta é a história completa. Mas, se você não acredita nela, talvez seja melhor pensar nEle como o frágil menino. Todavia, pense bem, a Bíblia fala de alguém que possui completa autoridade e que tem poder para salvar a qualquer um que O reconhece como Salvador e Senhor.

Essa história vai além de muitas outras que são contadas por aí e vai além de muito do que se chama de cristianismo hoje, pois fala de amor, rendição, submissão à vontade e autoridade de Jesus, e não uma insignificante veneração simbólica.

Dentro em breve não é um menino que estará descendo à terra novamente para estabelecer Seu reino e julgar a todos nós. Agradar e enganar a um menino é fácil. Mas, seria possível com relação ao Rei das Nações?

Que o próximo natal seja diferente em sua vida!

Que você conheça o Homem Jesus, Rei, Senhor, Juiz de toda a terra!

– Jesus é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. (Colossenses 1.15)
– Porque aprouve a Deus que, em Jesus, residisse toda a plenitude. (Colossenses 1.19)
– Jesus é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. (Colossenses 1.17)
– Em Jesus habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade. (Colossenses 2.9)
– Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito [Jesus], que está no seio do Pai, é quem o revelou. (João 1.18)
– Jesus é o resplendor da glória e a expressão exata do Ser de Deus, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder. (Hebreus 1.3)
– Em Cristo habita todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. (Colossenses 2.3)
– O Verbo [Jesus] estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. (João 1.10)
– O mistério que estivera oculto dos séculos e das gerações; agora, todavia se manifestou… isto é, Cristo em vós, a esperança da glória. (Colossenses 1.26,27)
– Jesus se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção. (1 Coríntios 1.30)
– Jesus é a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. (João 1.9)
– Deus, o Pai, constitui ao Filho, Jesus, herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo. (Hebreus 1.2)
– Jesus é o Mediador da Nova Aliança. (Hebreus 12.24)
– Jesus é o Autor e Consumador da fé. (Hebreus 12.2)
– Em Jesus temos a redenção, a remissão dos pecados. (Colossenses 1.14)
– Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem. (1 Timóteo 2.5)
– Jesus disse: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. (João 14.6)

Fonte: Rei Eterno

Anúncios