Pastoreando o Coração da Criança II


II. MUDANDO AS ATITUDES DO CORAÇÃO.

Gn. 18:19. “Porque Eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do Senhor, e pratiquem a justiça e o juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito.”

É um prazer para mim compartilhar com vocês sobre coisas que são preciosas ao meu coração. Nos últimos anos, eu tenho gasto muito tempo tentando entender as crianças e como pastoreá-las. E algumas coisas que vamos ver nestes dias irão ajudar-nos a pastoreá-las. Que o Senhor nos ajude e nos dê entendimento a medida que vamos estudar a Sua Palavra, e a ver as implicações dela. Que pela consideração da Sua Palavra o Senhor nos dê a orientação necessária para aprendermos como pastorear as nossas crianças. Pois nós queremos que o nosso ensino a elas, as leve a presença do Senhor. Queremos aprender a mostra-las a depravação dos seus corações. Queremos apontá-las o caminho a Cristo. Queremos pedir e interceder por elas, para que cheguem a fé e ao conhecimento de Cristo. Portanto, pedimos a Ti, Senhor, que ilumines as nossas mentes e corações para que possamos cumprir essa tarefa que Tu tens nos dado, para a Tua própria glória.

Eu creio que nós, como pais, temos experimentado uma grande variedade de frustrações com as nossas crianças. Quantas vezes nós nos sentimos insuficientes para essa tarefa? e quantas vezes ficamos desencorajados para cumprir com o que nos compete? olhamos para as nossas crianças e ficamos pensando o que vai acontecer com elas. Nós as vemos crescendo e vemos coisas erradas nelas. E vemos que os anos estão passando rapidamente. Então ficamos pensando como poderemos fazer o que Deus tem nos chamado para fazer.

Entendendo o Problema Através da Bíblia.

Muitas vezes vemos as necessidades delas e não sabemos como responder às suas necessidades. E quantas vezes nós respondemos mas não ficamos satisfeitos com a respostas que damos. Também, com freqüência, evitamos assuntos que precisam ser abordados. Nós estamos preocupados, nós vemos certos modelos de comportamento e respostas e nós não sabemos de onde tudo isso vem. Nós queremos ajudá-las, mas não estamos certos de como fazê-lo. E eu tenho descoberto que muitos pais estão frustrados com a sua tarefa. Quero então, chamar a atenção para alguns textos que já temos olhado. Nós precisamos entender o comportamento das crianças com os olhos das Escrituras. Qual é a visão bíblica do comportamento. Se nós vamos entender as nossa crianças através das Escrituras, precisamos saber então, o que as Escrituras dizem a respeito do comportamento delas. O que as Escrituras dizem sobre o porquê as crianças fazem o que fazem. Nós precisamos entender o que é que causa tal comportamento.

A Origem de Todo Comportamento Humano: O Coração

Leia Lc.6:43-44 e você verá que, neste texto, Deus descreve a origem do comportamento humano. A nossa fala e o nosso coração refletem aquilo que somos. Pode-se dizer que o nosso coração determina a nossa fala e a nossa ação. As coisas que as nossas crianças falam e fazem, vem do coração. Nós precisamos sempre lembrar que Marcos também ensina isso em Mc.7:20-23. Você pode verificar que algumas das coisas relacionadas neste texto, também se encontram em sua criança. E assim as Escrituras estão nos mostrando o que se encontra por baixo do comportamento humano. Então, olhando para o comportamento, podemos seguir a linha que nos levará ao coração. A fonte de onde nasce todo comportamento é o coração. E se nós queremos entender o comportamento de nossos filhos, nós teremos de seguir até a fonte, que é o coração deles.

Se isso é verdade, então são as atitudes do coração que estão refletidas no comportamento. O comportamento pecaminoso começa na verdade no coração, e aquelas atitudes do coração se externam. Isso também é verdadeiro quanto ao comportamento correto, comportamento espiritual. Ali também o comportamento é um reflexo da atitude do coração.

Nosso Erro: Abordar Diretamente o Comportamento

Olhando em nossas famílias, nós observamos que isso é verdadeiro. Você tem duas crianças e um brinquedo. O que acontece? os dois certamente estarão disputando o mesmo brinquedo. E olhando para o comportamento, verificamos um comportamento egoísta. Como pais cristãos nós não queremos que nossas crianças tenham esse tipo de comportamento e nós queremos que esse comportamento seja mudado, então, que fazemos? Muitas pessoas fazem o seguinte: ‘Quem pegou o brinquedo primeiro?’ e assim, esta criança não vai observar o ponto correto, porque na verdade você está diante de duas crianças egoístas. A questão de quem pegou por primeiro é apenas uma questão de justiça, mas isso não vai lidar com o verdadeiro problema, o egoísmo, pois elas amam a si mesmas. Então as duas crianças não tem disposição em compartilhar uma com a outra. Cada uma prefere a si mesma, e as duas estão determinadas a ter o brinquedo da mesma forma.

Outra forma de abordar o problema é através do apelo emocional. E dizemos algo assim: ‘eu fico muito triste de vocês agirem dessa forma. Vocês deixam o seu pai e a sua mãe tristes por agirem assim. E o papai vai sair para o trabalho triste por isso, mas eu ficaria tão contente de voltar para casa e encontrar vocês agindo de forma diferente’.

Há também a forma de ameaças. ‘Se vocês vão brigar por este brinquedo eu vou tomá-lo de vocês e dá-lo para outra criança, eu vou tirar tudo de vocês’. Ao ainda: ‘vocês não querem ser pessoas boas?…’ ou ainda ‘o que é que Jesus está sentido ao ver vocês agindo assim?’

Eu estou certo de que nenhuma dessas abordagens vai resolver o problema. Todas elas são tentativas de mudar o comportamento. É verdade que o comportamento precisa ser mudado, e é óbvio que temos de dizer para elas que precisam compartilhar as suas coisas, mas o assunto mais profundo aqui não é lidar com o comportamento dessas crianças.

Eu vou lhes contar uma história que aconteceu comigo enquanto utilizava a forma de ‘quem pegou o brinquedo por primeiro?’. Em uma manhã, quando acordamos, não havia um brinquedo sequer na caixa que se utilizava para guardá-los. Meu filho mais velho tinha acordado mais cedo e tinha então se apossado de todos os brinquedos. Quando ele queria brincar com certo brinquedo ele então ia apanhá-lo no local aonde estavam escondidos. Ele tinha este direito, pois os tinha pego por primeiro. Veja o problema que eu tinha criado ali. Leia mais Clique Aqui…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s