Agonia – Leonard Ravenhill


Nós nunca vimos à morte agonizante de um homem na cruz. No momento exato em que um homem é pregado à cruz, ele perde todos os seus direitos. E se você for pregado a uma cruz, você perderá todos os seus direitos também. Paulo disse: “Ninguém me inquiete! Estou cercado! Eu trago em meu corpo marcas de um escravo, eu sou um servo de Jesus Cristo”. “Eu não tenho vontade própria; eu não tenho direitos próprios.”

Existe um velho hino baseado nesse mesmo tema: “Deixe minhas mãos realizarem Suas ordens, deixe meus pés correrem em seus caminhos, deixe meus olhos verem somente a Jesus, deixe meus lábios adorarem-no. TUDO POR JESUS! Todo o poder restante em meu ser, todos meus pensamentos, palavras e atitudes. Todos os meus dias e todas minhas horas. Este homem não é uma criatura profissional, pregação não é uma profissão, é uma PAIXÃO. Se um homem não consegue pregar com paixão, ele nem deveria pregar! Não existe nem um sopro de profissionalismo em todo o ministério de Paulo e graças a Deus que também não há qualquer sopro de mercantilismo. Paulo não tinha medo. Vocês sabem o que ele fez uma vez? E eu peço a Deus que alguns de vocês façam isso. Vocês sabem o que ele fez uma vez? Ele disse: “Eu me ponho de joelhos perante o Pai”. E por que ele ter se prostrado de joelhos perante o Pai, ele nunca teve que se por de joelhos perante ninguém mais, nem demônios, políticos e reis, ele se manteve lá, magnificamente. “Eu carrego em meu corpo as marcas do Senhor Jesus”. E hoje em dia na América, eu ouso dizer isto perante Deus, eu acredito que temos centenas de milhões de fitas cassete gospel, e milhões de livros gospel, e centenas de escolas bíblicas, e centenas de seminários todo o ano, temos pessoas memorizando as escrituras, e temos 5.000 estações de rádio que fornece diariamente alguma parte das escrituras e ainda, como todas estas coisas para nos alimentar (Deus Amado! Onde estamos?), com todas estas coisas para nos engrandecer, 95% de nós são aleijados espirituais, impúberes espirituais, bebês espirituais, crianças. Cheios de piedade própria, interesse próprio, busca própria, preocupados apenas consigo mesmos, primeiro eu.

E algumas pessoas amam a Deus porque Ele dá. Eles fazem parte deste miserável “evangelho da prosperidade”. Paulo é muito claro, ele diz, escrevendo a Timóteo, que chegaria o dia em que pessoas pensariam que “Cristianismo significa ganhar”. Alguns dos santos escolhidos de Deus sequer possuem uma camisa para trocarem-se. Pedro disse em seus dias que alguns farão negócio com o nome de Cristo. Aquilo é mais verdadeiro nos dias que vivemos. Recentemente uma pessoa disse a um amigo meu, que iria fazer algumas “construções” para Deus. Ele disse: Escute, deixe-me dar-lhe um conselho, não edifique nada que possa te envergonhar em alguns anos. Aquela foi uma observação interessante.
Eu vejo dinheiro de Deus direcionado para edifícios majestosos, piscinas, e quadras de tênis e (eu quero vomitar!), com o mundo faminto, como o campo missionário precisando de dinheiro. Paulo nunca fez do Evangelho um glamour, é um Evangelho muito sangrento, ensangüentado. É um Evangelho de SACRIFÍCIOS!

Eu acredito que a essência do cristianismo é o sacrifício, não sucesso, SACRIFÍCIO. A coisa mais preciosa que lidaremos será a alma humana.
Só há um caminho para o céu. Existem milhões de caminhos para o inferno! O que você tem que fazer para ir ao inferno? NADA! Apenas não faça nada, só isso! Você não tem que desdenhar de Deus, você não tem que blasfemar o nome de Jesus, você não tem que ser adúltero, apenas CRUZE OS BRAÇOS. Pois o maior pecado do mundo não é o adultério. O maior pecado do mundo é “eu posso ajeitar minha vida sem Deus”, este é o maior erro. Você pode dizer algumas vezes: “Eu me pergunto por que Deus não me concede responsabilidades? Sabe por quê? Por que Ele não confia em você! É por isso! Você não é forte o suficiente para carregar o fardo. Muitos de vocês aqui nesta manhã não precisam de mais leveza. Isso só faria as coisas ainda piores parra você no julgamento, o que vocês precisam é de mais obediência, o que você soube por anos, mas resistiu. Você se lembra de algumas daquelas palavras maravilhosas que Jesus disse aos seus discípulos? “Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não podeis suportar agora”. Eu digo, reverentemente, ao Deus Todo Poderoso: Não me diga essas palavras no trono de julgamento! Não me deixe diante de John Wesley e Finney e todos os santos do passado e dizer: “Eu tenho muito a lhe dizer, mas você está tão preocupado com isso ou com aquilo, que não pude me achegar a você, e se eu pudesse você não seria maduro suficiente para lidar com isso”.

Cinco minutos dentro da eternidade, eu creio que cada um de nós, desejaríamos ter: sacrificado mais, orado mais, amado mais, suado mais, agoniado mais, chorado mais!

95% dos cristãos em nossa nação são fracos, Deus não pode confiar a eles uma revelação, Deus não pode confiar a vocês fardos. Você não pode confiar jóias a crianças. Você não pode confiar a eles algo que requer BRAVURA, eles são tão tímidos. Você não pode confiar nenhum fardo a eles, você os destruiria!

Cinco minutos dentro da eternidade, eu creio que cada um de nós, desejaríamos ter: sacrificado mais, orado mais, amado mais, suado mais, agoniado mais, chorado mais!

(Trechos retirados de uma pregação de Leonard Ravenhill)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s